Médicos são contra, mas Anvisa quer plantação de maconha no Brasil

Espalhe essa notícia:

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA E ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PSIQUIATRIA são contra autorizar a plantação de maconha no Brasil. A liberação vem sendo defendida pela ANVISA- Agência Nacional de Vigilância Sanitária para “fins medicinais”. O Conselho e a Associação alertam que ainda não há evidências científicas consistentes que demonstrem a eficácia e segurança aos pacientes de medicamentos com canabidiol- uma das 400 substâncias da maconha. Portanto, “a regulação do plantio e uso dessa droga coloca em risco esse grupo, além de causar forte impacto na sociedade em sua luta contra o narcotráfico e suas consequências”. O psiquiatra Leonardo Sérvio Luz afirma que ” as propostas de produção de medicamentos derivados da maconha não estão fundamentadas em estudos com evidências científicas sólidas.Portanto, não garante efetividade e segurança para os pacientes”.

O Conselho Federal de Medicina e a Associação Brasileira de Psiquiatria apoiam o ministro da Cidadania, Osmar Terra, que se posicionou contrário à regulação do plantio da maconha com “fins medicinais” no Brasil.

Recomendação divulgada aos médicos no site do do CFM alerta : “Entendemos o sofrimento e a dor desses pacientes que precisam de uma alternativa terapêutica, mas nossa missão é informar e conscientizar a comunidade médica e científica, bem como educadores, legisladores, gestores e o público em geral, sobre o tema. Até o momento, somente o canabidiol, um dos derivados da Cannabis sativa L., por ter mínimos estudos em forma de pesquisa, tem autorização para uso compassivo sob prescrição médica no tratamento de epilepsias em crianças e adolescentes refratários aos métodos convencionais. “