Vitória das famílias! A “Marcha contra as drogas” continua

Espalhe essa notícia:

A primeira vitória das famílias na “Marcha contra as Drogas” aconteceu na noite desta segunda-feira, 28 de outubro. O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, adiou o julgamento sobre porte de drogas e citou como motivo continuar o julgamento sobre prisão em segunda instância. Mas foi apenas um adiamento, o que significa que poderá haver outra data para julgamento do porte de drogas. PORTANTO, A “MARCHA DAS FAMÍLIAS CONTRA AS DROGAS” CONTINUA CONFIRMADA do Amazonas ao Rio Grande do Sul, no próximo domingo,3 de novembro.

 A “Marcha das Famílias contra as Drogas”.é uma iniciativa inédita no Brasil. Com a coordenação da Secretaria Nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas, do Ministério da Cidadania, une famílias e instituições  antidrogas  em todo o país  para  dizer  NÃO!À DESCRIMINALIZAÇÃO DO USO DE DROGAS NO BRASIL  Como descrevem os dicionários, descriminalizar significa revogar a criminalidade de um fato, portanto, no caso de drogas, autorizar o uso e o porte. A Organização Mundial da Saúde tem alertado que “experimentar droga é risco para a dependência, doença do cérebro que dificulta parar o uso. O uso de drogas está entre os maiores responsáveis pela morte prematura e pela perda de vida saudável e produtiva nas Américas”. 

O Secretário de Cuidados e Prevenção às Drogas do Ministério da Cidadania, psiquiatra Quirino Cordeiro Júnior, tem alertado em entrevistas a emissoras de rádio , tevê e nas redes sociais que “no Brasil, uso de drogas tem causado aumento no número de cracolândias , de afastamento do trabalho e taxas de suicídio”. Tem recomendado ser “ extremamente importante que toda a Sociedade se mobilize para pressionar o Supremo Tribunal Federal e evitar que uma decisão equivocada acabe expondo, ainda mais, as famílias brasileiras ao grande flagelo das drogas”.

A Confederação Nacional dos Municípios tem denunciado em seu site que “a dependência de crack já prejudica Saúde, Educação, Segurança Pública e Assistência Social em 86% dos municípios brasileiros”.

A “Marcha das  Famílias  Contra as  Drogas”  foi criada na semana passada, quando o Supremo Tribunal Federal informou que o julgamento sobre porte de drogas seria no dia 6  de novembro. É o julgamento  de  ação da Defensoria Pública de São Paulo, que começou em 2015 e  quer eliminar da lei 11.343/2006, o artigo  28, que proíbe  uso,  porte, compartilhamento e  armazenamento  de drogas e  plantação de maconha. Três dos 11 ministros do Supremo já se manifestaram a  favor de liberar porte e uso. Traduzindo:  eliminar o artigo 28  da lei  11.343/2006  significa autorizar o  uso e o porte  de  todas as  drogas  no Brasil. Fato  que a  Defensoria e o STF  chamam de descriminalização.

E a  resposta  das  famílias continua sendo NÃO! À  DESCRIMINALIZAÇÃO porque o uso de drogas causa doença , sofrimento devastador com a  destruição das famílias e do futuro do Brasil.

PORTANTO, “A MARCHA DAS FAMÍLIAS CONTRA AS DROGAS” ESTÁ CONFIRMADA NO DIA 3  DE NOVEMBRO EM TODO O PAÍS.