Dia cinza, com Banda Melim, música da campanha antidrogas do Ministério da Cidadania

Espalhe essa notícia:

Pode acontecer com as pessoas que amamos. Experimentar droga. Que vem sempre pela mão de um colega ou até mesmo de um parente, descrevem relatos de dependentes de drogas em tratamento. Como a história de Hélio,jovem de 23 anos, dependente que ficou internado por seis meses na Fazenda Renascer, em Minas Gerais, que inspirou a música “Dia Cinza”, da Banda Melim, tema da campanha de conscientização de jovens de 14 a 23 anos do Ministério da Cidadania, com mais de 255 mil citações nas redes sociais e 26 mil visualizações no Youtube Na letra, a descrição do começo do uso e suas consequências. Em “Dia Cinza”, inspirada na história de Hélio, a banda Melim, formada por três jovens , canta:

“Um conhecido disse:
Se liga, meu bro, um negocin pros seus problemas eu tenho
Tenho o que você quiser, é só você dizer que quer
Eu acabei no caminho errado”

“E assim começou a doença de Hélio, órfão de mãe e responsável pela criação do irmão. Responsabilidade trocada pela vontade incontrolável de usar droga e sempre aumentando as quantidades, por isso o nome dependência. Hélio conseguiu uma internação, mas a maioria cai em outros perigosos caminhos: cracolândias, cadeia por roubo para pagar a droga, ou cemitério, ao morrer por overdose , violência ou doenças causadas pelo uso de drogas, como infarto.
Como ensina Hélio na música Dia Cinza:
“O que passei não desejo a ninguém
Que a minha história sirva de lição.”
Por isso estamos aqui nesta “Marcha da Família contra as Drogas” em todo o Brasil . Porque droga é sinônimo de desgraça e o que nós queremos para os filhos, sobrinhos, netos e entes queridos é sucesso, felicidade, portanto, VIDA SIM! DROGAS NÃO! Como canta a Banda Melim:
“Dia cinza todo mundo tem
Mas amanhã já é verão
Eu digo sim só pro que me faz bem
Pro resto é: Não, não, não”