EM 20 capitais e 50 cidades , 3 de novembro com “MARCHA DAS FAMÍLIAS CONTRA AS DROGAS”

Espalhe essa notícia:

Famílias e instituições antidrogas de 20 capitais e 50 cidades no Brasil participam HOJE de Norte a Sul do país da “MARCHA DAS FAMÍLIAS CONTRA AS DROGAS”. Iniciativa inédita no Brasil.

EM SÃO PAULO VAI SER EM FRENTE AO MASP, A PARTIR DAS DUAS DA TARDE, NA AVENIDA PAULISTA, ENDEREÇO DAS GRANDES MANIFESTAÇÕES DO PAÍS.

O objetivo é dizer NÃO!À DESCRIMINALIZAÇÃO DO USO DE DROGAS. Como descrevem os dicionários, descriminalizar significa revogar a criminalidade de um fato, portanto, no caso de drogas, autorizar o uso e o porte. E como ensina a Ciência, ainda não se sabe quem poderá desenvolver a dependência de drogas, portanto, experimentar é sempre risco para a dependência, doença do cérebro que faz perder o controle sobre o uso e sempre aumentando quantidades. Pesquisas revelam que cada dependente torna doente também, pelo menos outras quatro pessoas de sua família, pelo estresse de ver em risco quem se ama.
“No Brasil, uso de drogas tem causado aumento no número de cracolândias , de afastamento dos estudos, do trabalho e taxas de suicídio”, alerta o Secretário de Cuidados e Prevenção às Drogas do Ministério da Cidadania, psiquiatra Quirino Cordeiro Júnior.O presidente da Federação de Amor-Exigente, Miguel Tortorelli informa que os 10 mil voluntários da FEAE no Brasil atendem, gratuitamente, por ano, UM MILHÃO E 2000 MIL FAMÍLIAS DE DEPENDENTES de drogas, que não têm assistência na rede municipal de saúde. E a Confederação Nacional dos Municípios denuncia que o uso do crack já é registrado em 86% dos municípios brasileiros, prejudicando SAÚDE, EDUCAÇÃO, ASSISTÊNCIA SOCIAL E SEGURANÇA PÚBLICA.

A “Marcha” é resposta das famílias e das entidades antidrogas: NÃO! À DESCRIMINALIZAÇÃO porque o uso de drogas causa doença , sofrimento devastador com a destruição das famílias e do futuro do Brasil.