Movimento Brasil Sem Drogas e Pastoral da Sobriedade na “Marcha das Famílias contra as Drogas”

Espalhe essa notícia:

O sofrimento devastador de famílias com dependentes de drogas, uniu os líderes Roberto Lasserre, Coordenador Nacional do Movimento Brasil Sem Drogas, e Nilson Vieira, do Conselho Diretor da Coordenação Nacional da Pastoral da Sobriedade, a 86 outros importantes representantes de movimento antidrogas para tornarem realidade iniciativa inédita no Brasil, a “Marcha das Famílias Contra as Drogas”, realizada no domingo, 3 de novembro, em 18 capitais e mais de 70 municípios.

DEPENDENTE ROUBA TUDO DE CASA,SOFRIMENTO DE MÃES NO BRASIL

Nas palavras de Nilson Vieira, o retrato cruel das consequências do uso de drogas: “Fui atender o pedido de socorro de vizinhos de uma senhora, mãe de dependente de droga. Quando entrei na casa, a senhora chorava desesperadamente. O filho dependente de droga tinha roubado tudo, inclusive os alimentos. Ela estava sozinha, sem dinheiro,sem comida, num bairro pobre. O filho fugiu para a cracolândia da cidade. A mãe estava tomando uma mistura de água, farinha e açúcar que conseguiu com os vizinhos e era o seu único alimento naquele dia.” SOFRIMENTO QUE SE REPETE EM 86% DOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS COM CRACOLÂN DIAS E BANALIZAÇÃO DO USO DE DROGAS. Realidade desesperadora também denunciada pelo Movimento Brasil Sem Drogas.

NILSON Vieira organizou a “Marcha” nas cidades atendidas pela Pastoral em Goiás: Formosa, Luziânia, Valparaíso, Planaltina de Goiás, Cristalina e Rialma.

ROBERTO Lasserre organizou a “Marcha” em Fortaleza, capital do Ceará . E no domingo, 3 de novembro, reuniu 400 pessoas na Praça da Imprensa.

“A MARCHA É MOMENTO HISTÓRICO”

Para o Coordenador Nacional do Movimento Brasil Sem Drogas, a “Marcha das Famílias contra as Drogas é momento histórico de congraçamento e de alerta à sociedade para os riscos da descriminalização das drogas pelo Supremo Tribunal Federal”.

Nilson Almeida Vieira, do Conselho Diretor da Coordenação Nacional da Pastoral da Sobriedade, comemora: “Foi com muita satisfação que participamos da Marcha das Famílias contra as Drogas, iniciativa importante que deu voz à Sociedade brasileira para dizer NÃO à descriminalização das drogas no Brasil.”

ALERTA SOBRE GRAVES RISCOS DA DESCRIMINALIZAÇÃO,QUE SIGNIFICA AUTORIZAR O USO E O PORTE DE DROGAS:

  • quem experimenta pode desenvolver a dependência, porque drogas estão cada vez mais viciantes;
    -dependência significa doença do cérebro, que exige repetir o uso e sempre aumentando a quantidade;
    -para pagar a droga, vale tudo: roubar e até se prostituir, descrevem dependentes em recuperação;
    -quando há autorização para se usar uma droga, caso de tabaco e das bebidas alcoólicas, fica mais dificil conseguir a recuperação.

AÇÃO NO STF QUER LIBERAR O USO DE DROGAS NO BRASIL

Eles citam o Supremo Tribunal Federal porque ação da Defensoria Pública de São Paulo no STF quer eliminar da lei 11.343 o artigo 28 que proíbe drogas no Brasil. A ação seria julgada no dia 6 de novembro, mas a realização da Marcha das Famílias contra as drogas” e Recurso da Federação de Amor-Exigente no Supremo adiaram o julgamento. Se a Defensoria ganhar a ação, o Supremo Tribunal Federal estará autorizando o uso, o porte, o compartilhamento e o armazenamento de TODAS AS drogas e a plantação de maconha no Brasil.

“MAIORIA DOS BRASILEIROS CONTRA A LIBERAÇÃO DE DROGAS”

COMO INFORMOU NESTA SEGUNDA-FEIRA, O SENADOR Izalci Lucas (PSDB-DF) no Plenário do Senado, “a maioria dos brasileiros é contrária à liberação das drogas”. O senador.que participou com a família da “Marcha” em Brasília, no domingo, defendeu “manifestações contra o uso e o porte de drogas porque têm o objetivo de alertar as autoridades e a sociedade sobre os riscos da descriminalização das drogas para os jovens do país”, informa a Agência Senado.

Secretário Nacional de Cuidados e Prevenção as Drogas-psiquiatra Quirino Cordeiro Júnior

A MARCHA DAS FAMÍLIAS CONTRA AS DROGAS FOI COORDENADA PELA SECRETARIA NACIONAL DE CUIDADOS E PREVENÇÃO ÀS DROGAS, DO MINISTÉRIO DA CIDADANIA, QUE UNIU FAMÍLIAS E INSTITUIÇÕES ANTIDROGAS EM TEMPO RECORDE: EM APENAS 10 DIAS NO PAÍS. Como tem alertado o Secretário de Cuidados e Prevenção às Drogas do Ministério da Cidadania, psiquiatra Quirino Cordeiro Júnior, “é extremamente importante a união de toda a Sociedade para pressionar o Supremo Tribunal Federal e evitar que uma decisão equivocada, a descriminalização, acabe expondo, ainda mais, as famílias brasileiras ao grande flagelo das drogas”.