Descriminalizar maconha é ignorar as doenças que causa

Espalhe essa notícia:

Defensores da descriminalização da maconha, que significa autorizar uso,porte compartilhamento e armazenamento dessa droga, ignoram as graves consequências que a Medicina já comprova no tratamento dos dependentes de maconha. Ensina o psiquiatra Sérgio de Paula Ramos, que tem 45 anos de experiência no tratamento de dependências químicas:

“ maconha causa comprometimento do rendimento escolar, acadêmico, depressão, ideação suicida e esquizofrenia”.

Existe farta evidência que a maconha, usada na adolescência, talvez seja a mais danosa das drogas de abuso para esta faixa etária.  Nos países onde o porte e o uso da maconha foram autorizados, houve aumento do consumo, em alguns até dobrou, e a criminalidade não diminuiu. É importante, portanto, a valorização da Saúde do jovem e de sua família. “

O doutor Sérgio de Paula Ramos esclarece que “maconha medicinal
não existe, porém a poderosa indústria da maconha insiste em seu uso para diminuir a percepção de risco no uso da droga. Queda da percepção de risco acarreta aumento de consumo”, explicou em entrevista ao Observatório de Drogas , do Ministério da Cidadania.

http://mds.gov.br/obid/entrevistas/sergio-ramos

O psiquiatra Sérgio de Paula Ramos é membro do Conselho Consultivo da Associação Brasileira de Estudos. do Álcool e outras Drogas (ABEAD), membro efetivo da Academia Sul-Rio-Grandense de Medicina e Diretor da Villa Janus, em Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul, e clínica referência no tratamento de dependentes de drogas no Brasil.