Lei proíbe pancadão mas em SP continua nas ruas

Espalhe essa notícia:

Pancadão é proibido no Estado de São Paulo desde 2015 pela lei 16.049, sancionada pelo então governador Geraldo Alckmin (PSDB). “Quando não tem som alto, não junta pessoas, não há comércio de bebidas, tráfico de drogas e sexo com menores”, DEFINE o Coronel Camilo, autor da lei junto com o Coronel Telhada. Os pancadões, alerta o Coronel Camilo, “ são utilizados por criminosos e até financiados por eles para venda de drogas e cometimento de outros crimes, como sexo envolvendo menores. Não somos contra nenhum gênero musical, mas o pancadão é quando o show vira baderna.”

A https://psd.org.br/noticia/lei-que-proibe-pancadoes-em-sao-paulo-e-sancionada/

Mas a 16.049 é lei ignorada na cidade de São Paulo, onde “250 pancadões são realizados” denuncia em sua página no Facebook um dos mais conceituados repórteres policiais do país, Afanasio Jazadji.

Mais grave ainda:drogas em festas não são flagradas somente em pancadões. São utilizadas em festas de todas as classes sociais, denunciaram dependentes em recuperação que durante 12 anos participaram da campanha Jovem Pan Pela Vida, Contra as Drogas, que coordenei de 2002 a 2014 , de segunda a sexta-feira, em 700 escolas públicas e particulares de 39 cidades de São Paulo. Portanto, uso de drogas, estupros, violência são consequências da falta de política antidrogas nas cidades, apesar do governo federal proibir o uso, o porte, o compartilhamento e o armazenamento no DECRETO Nº 9.761, DE 11 DE ABRIL DE 2019:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2019/Decreto/D9761.htm

“3.13. Assegurar políticas públicas para redução da oferta de drogas, por meio de atuação coordenada, cooperativa e colaborativa dos integrantes do Sistema Único de Segurança Pública – Susp e de outros órgãos responsáveis pela persecução criminal nos entes federativos, incluída a realização de ações repressivas e processos criminais contra os responsáveis pela produção e pelo tráfico de substâncias proscritas, de acordo com o previsto na legislação.”

Portanto, enquanto Prefeituras ignorarem o cumprimento da Lei estdaual e do Decreto Federal, a epidemia causada pelo uso de drogas vai continuar aumentando o sofrimento devastador das famílias.