Dr.Nabil Ghorayeb:”É apologia ao uso de drogas a proposta da WADA de diminuir pena para atletas flagrados por maconha ou cocaína .”

Espalhe essa notícia:

“Um absurdo! Apologia ao uso de drogas!”,protesta o especialista em Medicina do Esporte, cardiologista Nabil Ghorayeb, ao analisar a proposta da Agência Mundial Antidoping de diminuir a pena para atletas flagrados por uso de maconha ou cocaína em seu novo código, que entrará em vigor a partir de 1º de janeiro de 2021. “Os representantes da FIFA e da WADA para a América Latina nem médicos são! Um absurdo! A garotada têm os atletas como modelo de inspiração e, portanto, diminuir as penas pode ser o início da apologia ao uso de drogas.O Conselho Federal de Medicina já marcou reunião com o Ministério da Cidadania sobre este assunto. O pai não consegue nem saber a quantidade que seu filho usa, como vamos controlar o atleta, havendo ainda o fato de que a cada dia a dose vai aumentando. Óbvio, vão estipular os nanogramas e aí companheiros será uma festa. E péssimo exemplo para as crianças, que tem nos atletas seus heróis. Isso tem que levar muita nota de repúdio das sociedades médicas! Soa igual tirar dos carros as cadeirinhas das crianças. ”

Chefe de Seção Médica de Cardiologia do Esporte do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia e Coordenador da Clínica do Esporte e Exercício do Hospital do Coração, em São Paulo, o doutor Nabil Ghorayeb descreve as graves consequências da maconha e da cocaína:

MACONHA
“Os efeitos são: diminuição de performance, arritmias cardiacas e até parada cardíaca. Lassidão e perda de vontade, sonolência.”

COCAÍNA


“Os efeitos cardiovasculares são: infarto do miocárdio, fibrose celular ( cicatriz), arritmias complexas e graves . Os psiquiátricos são: esquizofrenia e surtos de psicose ”

Segundo a imprensa, “ a proposta é diminuir a pena, com suspensão de apenas três meses quando o doping for por uso de maconha ou cocaína.” Pelas regras atuais da Wada(Agência Mundial Antidopagem) os atletas flagrados com cocaína ou maconha podem ser punidos com até quatro anos de suspensão.