“Maconha medicinal”,termo que reduz a percepção dos riscos para facilitar a legalização, alerta psiquiatra Sérgio de Paula Ramos

Espalhe essa notícia:

“Maconha medicinal é ação usada para reduzir a percepção dos riscos e aumentar o consumo”, adverte o psiquiatra Sérgio de Paula Ramos, referência no Brasil no tratamento de dependentes de drogas, em artigo publicado no último número do Brazilian Journal of Psychiatry, sobre a possível legalização da maconha. Ele defende ser preciso ” resistir à pressão do sistema econômico e social envolvendo maconha e contribuir para garantir que ela não seja legalizada”.

No artigo, o psiquiatra Sérgio de Paula Ramos afirma:


” Não há, de fato, evidências de que, se fumada, possa produzir qualquer tipo de benefício à saúde, mesmo levando em consideração os poucos estudos sobre canabinoides, realizados com qualquer rigor metodológico ou estudos de caso sobre o uso do produto para esclerose múltipla, epilepsia refratária, anorexia devido à quimioterapia e dor neuropática crônica.O objetivo dessa ação é reduzir a percepção de risco, aumentando o consumo.”

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-44462019000600473&tlng=en&fbclid=IwAR3PESy3-sqkMzbOB480vjnbf30vLz42tMZWJEdpFX8RQJkleqsttCyr1CY

O psiquiatra Sérgio de Paula Ramos tem em seu currículo 45 anos de experiência no tratamento de dependências químicas. Foi Presidente da Associação Brasileira de Álcool e outras Drogas (ABEAD) em 2 períodos, é Membro do Conselho Consultivo da ABEAD, Membro Titular da Academia Sul-Rio-Grandense de Medicina e diretor da Villa Janus, centro referência no tratamento de dependentes de drogas no Brasil.