Dr. Quirino Cordeiro Jr.:“Antiga Política de Saúde Mental financiou serviços que não existiam”

Espalhe essa notícia:

Subnotificação de atendimentos (centenas de serviços não apresentavam qualquer produção) e financiamento pelo Ministério da Saúde de dezenas de serviços que não existiam” estão entre as 12 devastadoras consequências, até final de 2017, da Antiga Política Nacional de Saúde Mental. Denúncia do Secretário Nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas do Ministério da Cidadania, psiquiatra Quirino Cordeiro Júnior no artigo “A grave desassistência que motivou a publicação da Nova Política Nacional de Saúde Mental’, publicado este mês no Observatório Brasileiro de Informações sobre Drogas, do Ministério da Cidadania.

NAS PALAVRAS DO DOUTOR QUIRINO CORDEIRO JÚNIOR, O RETRATO DESSA GRAVE DESASSISTÊNCIA DA ANTIGA POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE MENTAL, ADOTADA ATÉ DEZEMBRO DE 2017 NO BRASIL:

1)“crescimento das taxas de suicídio nos últimos 15 anos
2) aumento de indivíduos com transtornos mentais graves em situação de rua
3) encarceramento de pacientes com transtornos mentais graves;
4)aumento da mortalidade de tais pacientes;
5) superlotação de Serviços de Emergência com pacientes aguardando vaga para internação;
6) aumento do uso de drogas e dependência química no país;
7) crescimento e expansão das Cracolândias;
8) aumento no número de pacientes afastados pela Previdência.”

http://mds.gov.br/obid/noticias/a-grave-desassistencia-que-motivou-a-publicacao-da-nova-politica-nacional-de-saude-mental