Em tempos de epidemia do coronavírus,cracolândias continuam em SP, informa a Secretaria de Saúde

Espalhe essa notícia:

Foto de Carlos Torres: cracolândia da Luz, no centro de SP, publicada no meu livro “Guerra pela vida- A campanha da Jovem Pan contra as drogas”

Cracolândias vão continuar em São Paulo em tempos de epidemia causada pelo novo coronavírus, o COVID-19, informou nesta noite a Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo ao Diário Antidrogas.

RESPOSTA DA PREFEITURA DE SÃO PAULO NO DIA EM QUE O MINISTÉRIO DA SAÚDE FEZ A RECOMENDAÇÃO A TODOS OS ESTADOS PARA “ cancelamento ou adiamento de eventos com grande participação de pessoas em razão da epidemia do novo coronavírus (Covid-19)”. Este novo vírus causa doença grave que ataca os pulmões e pode exigir internação em UTI. É transmitido por espirro ou tosse.

Portanto, dependentes de drogas fumadas – maconha, cigarro, charuto, cachimbo, narguilé e crack – são de alto risco para contraírem esse novo vírus porque ele ataca os pulmões, que já estão fragilizados pelo uso dessas drogas, alerta o National Institute on Drug Abuse, principal centro de pesquisas sobre drogas nos Estados Unidos.

MAS PARA A PREFEITURA DE SÃO PAULO, TRÊS MEDIDAS SOLUCIONAM ESTE GRAVE PROBLEMA: “A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal da Saúde, informa que os profissionais que atuam no programa Consultório na Rua foram orientados sobre os protocolos relacionados ao novo coronavírus, como os cuidados que devem ser repassados aos dependentes químicos sobre etiqueta respiratória (cobrir o rosto com o antebraço ao tossir ou espirrar e evitar compartilhar objetos pessoais). Os profissionais também estão capacitados sobre os sinais e sintomas da doença e orientados a encaminhar os casos suspeitos para a unidade de saúde mais próxima.” A NOTA NÃO TEM O NOME DO MÉDICO RESPONSÁVEL PELA RESPOSTA E FOI ENVIADA PELA ASSESSORIA DE IMPRENSA DA SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE DE SÃO PAULO.

São Paulo – Região entre a Estação da Luz e o Viaduto Santa Ifigênia, conhecida como Cracolândia (Rovena Rosa/Agência Brasil)

A maior cracolândia do País, a da Estação da Luz, no centro de São Paulo, chega a reunir, até DOIS MIL DEPENDENTES FUMANDO DE DEZ ATÉ 40 PEDRAS DE CRACK POR NOITE E MADRUGADA, DE SEGUNDA -FEIRA A DOMINGO. Na cidade de São Paulo, segundo a Prefeitura , há mais de cem cracolândias tomando ruas em bairros residenciais e comerciais, praças e sob viadutos. Os dependentes vão para as ruas próximas pedirem, e até exigirem moedas ou ajuda, ficando próximos de moradores e de quem trabalha na região.

O COVID-19 TEM CASOS GRAVES CONFIRMADOS E ATÉ MORTES nas Américas, na África, na Europa, no Sudeste da Ásia,no Pacífico Ocidental e no Mediterrâneo Oriental, informa o Centro de Controle de Doenças, nos Estados Unidos.Este novo vírus, chamado COVID 19, sigla em inglês para “coronavirus disease 2019”, causa doença que não tem cura e com sintomas semelhante aos da gripe- tosse, coriza, febre e dores musculares. “Pode, no entanto, evoluir para pneumonia, dificuldade respiratória e sintomas gastro intestinais. Não existe medicamento para essa doença, que pode exigir internação em UTI”, alertam especialistas como o pneumologista Elie Fiss, pesquisador sênior do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, de São Paulo , e o diretor técnico do Hospital Dia do Pulmão, em Blumenau, Santa Catarina, Dr. Mauro Sérgio Kreibich .

Fatos gravíssimos que não parecem preocupar a Secretaria Municipal da Saúde da cidade de São Paulo.