COVID-19:dependentes nos grupos de risco, alerta documento, mas em SP cracolândias continuam

Espalhe essa notícia:

Foto: Carlos Torres, publicada no meu livro “Guerra pela vida- A campanha da Jovem Pan contra as drogas”

Documento do governo do Estado de São Paulo reconhece os altos riscos de contaminação e consequências do novo coronavírus para dependentes de drogas fumadas. É o Plano de contingência para o atendimento dos usuários de substâncias psicoativas com a doença Covid-19 , divulgado pelo CRATOD -Centro de referência de Álcool , Tabaco e outras Drogas. No entanto, cracolândias continuam nas ruas , com dependentes aglomerados fumando crack. É o que pode ser visto, por exemplo, nesta manhã, na maior cracolândia do País, a da região da Luz, no centro de São Paulo.

Novo coronavírus, causador da COVID-19, ATACA OS PULMÕES, portanto dependentes de drogas fumadas estão no grupo de contaminação com graves consequências, alerta documento do governo de SP

NA CRACOLÂNDIA DA LUZ, EM PLENO CENTRO DE SÃO PAULO, grande número de dependentes de crack estão fumando crack nesta manhã nas ruas e calçadas. ESTÃO AGLOMERADOS. Mas parecem invisíveis para as autoridades que assinaram recomendação publicada no site do governo do Estado: “ Para reduzir as chances de transmissão pelo contato com secreções, a orientação é não permanecer perto de um grande número de pessoas. A medida vale para cidadãos de qualquer faixa etária – assim, neste momento, também representa uma decisão importante evitar locais como clubes, piscinas, praias, bares e casas noturnas.”

DE FATO, PARECEM INVISÍVEIS À SECRETARIA ESTADUAL DA SAÚDE DO MUNICÍPIO E DO ESTADO, APESAR DO DOCUMENTO DO CRATOD ADVERTIR: “Em relação aos usuários de crack (cocaína), ainda há pouca experiência ou evidência científica capaz de nortear formas de mitigar ou de minimizar os riscos de evolução desfavorável ou maus prognósticos por outro lado, é notório que tais usuários possuem maiores taxas de comorbidade – psiquiátrica, cardiovascular e pulmonar –, baixa adesão aos tratamentos – procurando a rede preferencialmente em situações agudas – e um rebaixamento cognitivo que compromete sua capacidade de tomar decisões racionais, informadas e estáveis .”

Senhores, documento são importantes, mas muito mais importante é tirar das ruas esses dependentes já que estamos numa pandemia que causa mortes em 213 países. Mais grave ainda: São Paulo tem sido a cidade de maior número de casos da COVID-19 e de mortes.

Mas, por enquanto, a resposta é a adotada pela política de Redução d e Danos: perguntar ao dependente se quer ir para tratamento. Por que ele iria, se na cracolândia tem o que ele mais quer: droga 24 horas. TRADUZINDO: REDUÇÃO DE NADA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *