Campanha “Pais contra as drogas”: dependência é doença do cérebro

Espalhe essa notícia:

No título, a definição da psiquiatra Nora Volkow, Diretora do maior instituto de pesquisas sobre drogas no mundo National Institute on Drug Abuse –, nos Estados Unidos. Portanto, “experimentar droga é sempre risco para desenvolver a dependência, doença que muda o funcionamento do cérebro, dificulta pensar e tomar decisões, fazendo com que parar o uso seja difícil, mesmo para quem quiser.”

Nora Volkow, Diretora do National Institute on Drug Abuse

Dicionários definem dependência como o oposto de liberdade. É DOENÇA CRÔNICA, define a Organização Mundial da Saúde. No Código Internacional de Doenças, adotado pelo Ministério da Saúde, o CID-10(número de vezes em que já foi atualizado) – letra F com números de 10 a 19 -indicam a droga , que causou a dependência, que exige consumo repetido e em doses cada vez maiores. “A droga passa a ser a motivação central de suas vidas, custe o que custar,levando os usuários a uma vida de perdas constantes, solidão, fracasso e finalmente e não, excepcionalmente, à trágica morte”, adverte o psiquiatra Pablo Miguel Roig, CRM 24968, Diretor da Clínica Greenwood, referência no Brasil, na Argentina, nos Estados Unidos, na Espanha e em Portugal..

Psiquiatra Pablo Roig

Tem tratamento MAS não tem cura, por isso há o risco de recaídas. “Devemos considerar também o dano social que a dependência de droga provoca”, chama a atenção o psiquiatra Pablo Roig . “ Facilmente cada adicto afeta pelo menos 10 pessoas de seu entorno. Não esqueçamos que seu efeito patogênico desestrutura famílias e a própria comunidade.

Nas palavras de um dependente anônimo, as graves consequências do uso de drogas que se repetem com moças e rapazes de todas as classes sociais internados por dependência de bebida, de maconha, de cocaína, de crack,de ecstasy, de heroína ou de uma combinação de várias dessas drogas, senão de todas elas:

“ A droga causa uma vontade incontrolável de voltar ao uso, por isso se chama dependência. E por essa vontade se faz de tudo: rouba, se prostitui, abandona a família. A maioria dos meus colegas de uso já está no cemitério: morreu por overdose ou por dívida com traficantes. Outros estão na cadeia por roubo de carros e assaltos em saídas de bancos. Outros se perderam nas cracolândias. Eu consegui ir para uma clínica e estou aqui para contar como é ficar viciado em drogas. Minha doença não tem cura e para manter minha recuperação tenho de evitar os que usam, não frequentar bares ou festas onde há bebida, maconha e outras drogas. Sabe por quê? Um gole de cerveja poderá despertar minha memória eufórica e eu ter vontade incontrolável de usar a minha última droga. Tenho de ficar sem bebida e outras drogas por toda a vida. Porque com drogas eu só perdi .”

EXPERIMENTAR DROGA, PORTANTO, É SEMPRE RISCO PARA DESENVOLVER A DEPENDÊNCIA. Mas seis causas já foram identificadas:

1)filho ou neto de alcoólatra ou de dependente de droga tem aumentado em OITO vezes o risco de desenvolver a dependência de drogas, se experimentar;

2)CURIOSIDADE PELA desinformação sobre as graves consequências do uso de drogas;

3)pressão dos colegas para experimentar;

4) crianças e adolescentes desenvolvem mais rapidamente a dependência;

5) fumar cigarro ou tabaco no narguilé na infância ou na adolescência é risco para usar outras drogas porque “a nicotina ensina o cérebro a repetir o uso, motivo de facilitar o uso de outras drogas.

6)drogas estão cada vez mais viciantes para ,maior lucro dos traficantes.

Vamos nos unir, portanto, CONTRA O USO DE DROGAS, Juntos vamos impedir que políticos e defensores da liberação no Brasil coloquem em risco nossas famílias. Eu, Miguel Tortorelli, Regina Tortorelli, doutora Eloísa Arruda, Fábio Magalhães da Silva, Fábio Antunes, psiquiatra Pablo Roig, psicóloga Helena Parolari,,Sandra Crivello, Jani Xavier, Márcia de Paula, Clarice D’Urso e o criminalista Mário de Oliveira Filho convidamos você a participara desta Campanha..Porque defender a liberação do uso de drogas é incentivar doença grave e desprezar famílias, como fazem os traficantes, para quem cada dependente representa SOMENTE lucro.

Juntos, vamos unir o Brasil numa só voz: “SAÚDE, SIM!“ , “DROGAS,NÃO!!!!!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *