Pedestres e motoristas atacados e roubados por dependentes da cracolândia. Prefeito e vereadores em silêncio

Espalhe essa notícia:

Prefeito, vereadores e saúde municipal em silêncio após o arrastão contra motoristas e pedestres por dependentes da cracolândia do centro de SP. LEIS O PAÍS TEM. SURPREENDE, NO ENTANTO, NÃO SEREM CUMPRIDAS EM SÃO PAULO, explicamos neste texto assinado pelo Vice-Presidente da Federação de Amor-Exigente, Miguel Tortorelli; pela Coordenadora Regional da FEAE na zona Norte, Regina Tortorelli, e por mim, como Consultora da FEAE.

Regina Tortorelli, Miguel Tortorelli e Izilda Alves

O barulho dos helicópteros da imprensa era o único som no início da manhã no bairro tomado pelos dependentes na maior cracolândia do país, a da região da Luz, no centro de São Paulo. Bairro dos arrastões contra motoristas e pedestres, que marcaram a tarde desta terça-feira. Motoristas foram atacados na avenida Rio Branco, na Alameda Nothmann e na Rua Helvétia por centenas de dependentes. Correria e pânico de pedestres que estavam na avenida Rio Branco. Motos foram jogadas no chão. Mas nesta manhã, nada mudou. Os dependentes continuam na cracolândia, autorizada pela Prefeitura e onde traficantes faturam 10 MILHÕES DE REAIS, POR MÊS, DENUNCIA ESTUDO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO PUBLICADO NO COMEÇO DO ANO

.

Prefeito Bruno Covas

O Prefeito Bruno Covas , recém-eleito continua em silêncio. Os vereadores em exercício e eleitos também continuam em silêncio.. Enquanto isso, a cracolândia do centro de São Paulo continua. E a equipe de Saúde da Prefeitura defende a Redução de danos nos CAPS, portanto, perguntam aos dependentes até de crack se querem tratamento. Como eles não aceitam voltam para a cracolândia. Para pagar os traficantes, os dependentes roubam celulares e ameaçam vítimas exigindo dinheiro. Além de tudo isso, em plena pandemia, esses dependentes têm maior facilidade para doenças transmissíveis pela respiração, como tuberculose, pneumonia e de contrair o vírus causador da COVID-19, pandemia que já causou milhões de mortes no mundo.

CRATOD

NO GOVERNO ALCKMIN, o CRATOD centro de tratamento de dependentes ao lado da cracolândia da Luz foi transformado na grande esperança de São Paulo para acabar com cracolândias, internando os dependentes. DEPOIS DO GOVERNO ALCKMIN, o CRATOD nada tem feito para tirar esses doentes das ruas, apesar dos riscos às suas vidas e a de terceiros.

“SAÚDE É DEVER DO ESTADO E DIREITO DO CIDADÃO”

Está escrito no artigo 196 da Constituição que SAÚDE É DEVER DO ESTADO E DIREITO DO CIDADÃO; ‘ A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação.”

“INTERNAÇÃO COMPULSÓRIA É AUTORIZADA PELA LEI 10.216

A LEI 10.216/2001 autoriza três tipos de internação: voluntária, involuntária e compulsória para pessoas com doenças mentais, casos dos dependentes . Como define o maior centro de pesquisas no mundo, o National Institute on Drug Abuse, nos Estados Unidos, dependência de droga é doença do cérebro, porque o uso desestrutura de tal forma o cérebro, que passa a ser prioridade.

INTERNAÇÃO INVOLUNTÁRIA É AUTORIZADA PELA LEI 13.840/2019

A LEI 13.840/2019 no seu artigo 23-A autoriza a internação involuntária, “ aquela que se dá, sem o consentimento do dependente, a pedido de familiar ou do responsável legal ou, na absoluta falta deste, de servidor público da área de saúde, da assistência social ou dos órgãos públicos integrantes do Sisnad, com exceção de servidores, ao médico”.

LEIS O PAÍS TEM. SURPREENDE, NO ENTANTO, NÃO SEREM CUMPRIDAS EM SÃO PAULO.