“Argumentos contra a legalização da maconha”,publicação da SENAPRED para pais,professores e médicos

Espalhe essa notícia:

Plantar maconha no Brasil para produção até de alimentos é o objetivo do projeto de lei que será votado dia 20 na Câmara dos Deputados, em Brasília. É o substitutivo do projeto de lei 399/2015. A Polícia Federal declara ser contra o projeto porque “ não há como controlar o plantio em todo o país”. E se o projeto for aprovado pelo congresso ,quais serão as consequências para famílias, escolas, saúde pública e segurança? AS RESPOSTAS ESTÃO NA PUBLICAÇÃO “Argumentos contra a legalização da maconha: Em busca da racionalidade perdida – uma abordagem baseada em evidências científicas”.

Secretário Nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas, psiquiatra Quirino Cordeiro Jr, com a publicação da SENAPRED para famílias, professores e médicos

Iniciativa da Secretaria Nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas, SENAPRED, do Ministério da Cidadania, com a Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) e Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Assinam este importante documento:

Secretário Nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas, psiquiatra Quirino Cordeiro Júnior;

Diretora do Departamento de Prevenção, Cuidados e Reinserção Social da SENAPRED, advogada Cláudia Gonçalves Leite;

-psiquiatra Ronaldo Laranjeira, Professor orientador do programa de pós-graduação do Departamento de Psiquiatria da UNIFESP. Coordenador da UNIAD (Unidade de Pesquisa em Álcool e Drogas) da UNIFESP. Presidente da Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM).

psiquiatra Cláudio Jerônimo da Silva, Professor- afiliado no Departamento de Psiquiatria da Universidade Federal de São Paulo. Pesquisador da UNIAD – Unidade de Pesquisa em Álcool e Drogas e Diretor técnico da Unidade Recomeço Helvétia (Associação Paulista para Desenvolvimento da Medicina;

-médico do trabalho Sérgio Marsiglia Duailibi,Coordenador do Curso de Especialização em Dependência Química Presencial e do curso de Extensão: Fundamentos da Dependência Química da Unidade de Pesquisa em Álcool e Outras Drogas ,da Universidade Federal de São Paulo.. Coordenador do ambulatório especializado em dependentes químicos no CRATOD/ SPDM (centro de referência em álcool Tabaco e outras drogas) em São Paulo.

SÃO 51 PÁGINAS com orientações fáceis de ler ensinando quais são os argumentos usados pelos que defendem a legalização; como leis podem influenciar o uso e as graves consequências da maconha. É publicação gratuita, disponível neste endereço:

https://www.gov.br/cidadania/pt-br/noticias-e-conteudos/desenvolvimento-social/noticias-desenvolvimento-social/em-live-senapred-lanca-tres-cartilhas-sobre-cuidados-e-prevencao-as-drogas/cartilha3-argumentos-contra-a-legalizacao-da-maconha-1.pdf

Publicação que conscientiza, informando:

-”AUMENTO DA DISPONIBILIDADE DE QUALQUER DROGA tende a aumentar o seu consumo e diminuir a percepção de seus riscos. Não obstante, o número de problemas de saúde e segurança de uma comunidade é diretamente proporcional à quantidade de drogas (lícitas ou ilícitas) consumida por uma determinada população.”

-”O CONSUMO DE QUALQUER DROGA que tem o potencial de criar dependência reforça a chance de que ela venha a ser usada novamente.”

-“INTOXICAÇÃO ACIDENTAL PELO USO DE DOCES, bolos e outros produtos com maconha exigindo atendimento em Pronto Atendimento e Emergências.”

-EXISTEM FORTES EVIDÊNCIAS que sugerem uma ligação entre uso da maconha e a esquizofrenia.”

– “A SOLUÇÃO É BUSCAR a prevenção, a diminuição do consumo global de drogas lícitas e ilícitas e o tratamento baseado em evidências, e não somente em ideologias.”