“Maconha,a Cloroquina da vez”, compara o pediatra João Paulo Lotufo

Espalhe essa notícia:

O pediatra JOÃO PAULO LOTUFO compara os riscos do PL399 aos da Cloroquina para evitar a Covid-19: “Parece a história da Cloroquina para a Covid-19. Não evita a doença e tem graves riscos.” Em entrevista neste domingo ao Diário Antidrogas, o Doutor João Paulo Lotufo, autor do livro “Tabaco, Álcool e Maconha: Drogas Pediátricas” esclarece : “Não somos contra o remédio , autorizado no Brasil pelo Conselho Federal de Medicina e pela ANVISA. Mas é medicamento, ainda sendo pesquisado, feito com APENAS UMA DAS 500 substâncias da maconha, o CANABIDIOL. É indicado, por exemplo, para tratar epilepsia de difícil controle.” E alerta para três graves riscos do PL 399,que tem como relator o pediatra Luciano Ducci, deputado federal pelo PSB-PR:

1)-Plantação da maconha em todo o país. “Somos contra. Só deveria ser autorizada para a indústria farmacêutica ou para pesquisas em universidades. Mas há também a possibilidade de importar o Canabidiol. É risco grave autorizar a produção caseira de óleo de maconha porque para fazer o isolamento do Canabidiol é necessário uso de tecnologia, para evitar, de fato, as outras substâncias como o THC, por exemplo, que causa a dependência.”

2)-Uso de maconha em alimentos: “ Somos contra o uso de maconha em produtos NÃO MEDICINAIS. Como EM ALIMENTOS, POR EXEMPLO, Há riscos no consumo desses alimentos além de passar a ideia de maconha ser droga inofensiva, aumentando portanto a possibilidade de uso dessa droga, que até crianças já fumam no Brasil.”

3)-Se aprovado, o PL pode,como a COVID-19, aumentar o número de doentes graves e de mortes. “No Brasil , TABACO mata 150 mil pessoas por ano. Bebida alcoólica, mata 100 mil. E se liberado o uso de maconha em vários produtos, vai aumentar o número de dependentes e, portanto, de doentes graves e mortes.”

VAMOS REPETIR O ALERTA DO DOUTOR JOÃO PAULO LOTUFO: “NÃO ADIANTA O PL 399 PROIBIR FUMAR MACONHA PORQUE AO AUTORIZAR PLANTAÇÃO EM TODO O PAÍS E USO ATÉ EM ALIMENTOS, ESTÁ PASSANDO A IDEIA DE QUE É DROGA INOFENSIVA, AUMENTANDO, PORTANTO, A POSSIBILIDADE DO USO DA MACONHA.”