“CPI das cracolândias em São Paulo?Por enquanto, não vejo elementos para uma CPI.”Deputada Janaína Paschoal

Espalhe essa notícia:

“CPI das cracolândias em São Paulo? Por enquanto, não vejo elementos para uma CPI”, responde a Deputada Janaína Paschoal, PSL/SP, a três mil mães, da Regional Norte Paulistana da Federação de Amor-Exigente, e ao Diário Antidrogas.

Regina Tortorelli, Coordenadora da Regional Norte Paulistana da Federação de Amor-Exigente

A resposta foi a e-mail que enviei com a Coordenadora da Regional Norte Paulistana da Federação de Amor-Exigente, Regina Tortorelli, com perguntas sobre a VISITA da deputada, em 20 de setembro, a locais “chamados SIAT, LOCALIZADOS EM CENAS ABERTAS PARA USO DE DROGAS ” , portanto, ao lado de cracolândias.

Izilda Alves, Editora do “Diário Antidrogas”

A deputada visitou dois SIATs: “um num container e, outro, numa casa onde “ficam dependentes da cracolândia, com autorização para saírem durante o dia e SEM proibição de uso de drogas”.

NO SIAT a “ACOLHIDA É DE CURTO PRAZO, COMPREENDENDO, PORÉM, NÃO EXAUSTIVAMENTE, OFERTAS RELATIVAS A TRATAMENTOS EM SAÚDE”, determina a Portaria número 4, de junho de 2019, que criou a SIAT no município de São Paulo..

https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/governo/redencao/PORTARIA_04_SGM_SMADS_SMS_SMDET_SIAT_V_PUBLICADA.pdf

Os dois SIATs- Serviços Integrados de Acolhida Terapêutica,visitados pela deputada, são pagos pela Prefeitura para “acolhimento de curto prazo e baixa exigência para dependentes, que estavam EM CRACOLÂNDIAS”.

Sobre a visita aos SIATs declarou a deputada Janaína Paschoal: Não me compete fazer nada com o que eu vi nesses equipamentos.”

AS PERGUNTAS DE MÃES À DEPUTADA JANAÍNA PASCHOAL, PSL/SP:

Deputada Janaína Paschoal

PERGUNTA DE MÃES: A visita à cracolândia aconteceu exatamente em que local ou locais?

DEPUTADA JANAÍNA PASCHOAL -Eu já conheço a área, presidi o Conselho de Entorpecentes por muitos anos, mas que esta visita em especial foi nos equipamentos que a Prefeitura mantém pra receber as pessoas que estão na cracolândia. Fui tanto nos equipamentos que seriam, vamos dizer assim, a porta de entrada, eles chamam de SIAT II, como naquele que é para as pessoas já residirem, as que já fizeram tratamento, já passaram pela área social, que é o SIATT III. Fiz reunião com as equipes, a visita foi nesse sentido, acompanhada do Secretário da pasta municipal e do Secretário Nacional de Prevenção à Drogas.

PERGUNTA DE MÃES: O que a senhora viu nesses locais, chamados “equipamentos sociais e de saúde”?

DEPUTADA JANAÍNA PASCHOAL -Eu vi os consultórios, onde havia profissionais de saúde que receberiam as pessoas que as equipes externas encaminhariam pra lá, isso no SIAT II. Também vi os quartos, na verdade, containers, onde algumas pessoas que foram retiradas da cracolândia dormem e passam o dia. Depois visitei o SIAT III que é um hotel adaptado pra receber famílias mesmo, de pessoas que saíram da cracolândia.

tPERGUNTA DE MÃES- Como mulher, como a senhora se sentiu nesses “equipamentos” da cracolândia?

DEPUTADA JANAÍNA PASCHOAL -Eu não faço muita divisão em ser mulher, ser homem. Eu coloco meu conhecimento a serviço e entendo que as pessoas que estão trabalhando nestes equipamentos estão se esforçando. Só que eu particularmente, tenho uma visão de que o tratamento tem que ser um pouco mais restritivo. Obviamente, com a autorização da família, com uma conscientização da pessoa, que tem que ter mesmo uma internação, teria que ser mais restritivo. Eles ficam ali, mas muito livres pra sair, passar o dia fora, voltar. Pelo que estudei não seria a abordagem mais adequada.

PERGUNTA DE MÃES – O que a senhora fez ou planeja fazer com o que viu nesses “equipamentos”?

DEPUTADA JANAÍNA PASCHOAL- Não me compete fazer nada com o que eu vi nos equipamentos. Eu incentivo projetos de lei, inclusive municipais, que estimulam as internações involuntárias. Sou uma entusiasta de um programa que houve aqui em São Paulo, em 2013, um convênio entre a OAB, o Tribunal de Justiça, a Defensoria, o Ministério Público e o CRATOD, que é Centro de Referência de Álcool, Tabaco e outras Drogas. Sou entusiasta, porque ali eles encaminhavam as pessoas que estão na cracolândia, cujas famílias procuravam para tratamento. É um tratamento mesmo, em que a pessoa fica privada de qualquer de substância entorpecente. Eu não acredito muito em tratar a drogadição permitindo que a pessoa use droga, não é que eu sou 100% contra a redução de danos, mas a redução de danos sozinha, ao meu ver não resolve nada.

Cracolândia em São Paulo, foto de Carlos Torres

PERGUNTA DE MÃES – A senhora planeja uma CPI das cracolândias na cidade de São Paulo?

DEPUTADA JANAÍNA PASCHOAL Eu não. Por enquanto, não vejo elementos para uma CPI, eu entendo que é um problema de mentalidade, ao meu sentir a prefeitura tem uma abordagem bastante branda da questão. Mas a Prefeitura já sofre críticas, porque as alas mais esquerdistas entendem que a prefeitura é dura demais, então acho que é mais um tema pra ser debatido, analisado, uma mudança de mentalidade, do que assunto para CPI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *