Hospital Psiquiátrico Professor Severino Lopes recebe Prêmio Nise da Silveira

Espalhe essa notícia:

Artigo do Secretário Nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas do Ministério da Cidadania, psiquiatra Quirino Cordeiro Júnior, Ex-Coordenador de Saúde Mental do Ministério da Saúde


O Hospital Psiquiátrico Professor Severino Lopes, localizado em Natal/RN, é uma entidade filantrópica que acabou de completar 65 anos, ofertando assistência de qualidade e humanizada a pessoas com transtornos mentais e também dependência química.

No último dia 20 de outubro, o Hospital foi merecidamente homenageado pela Câmara dos Deputados, em Brasília, com o “Prêmio Nise da Silveira de Boas Práticas e inclusão em Saúde Mental”.


A indicação do Hospital ao Prêmio foi feita pela Deputada Federal potiguar Carla Dickson, que tem trabalhado intensamente para o fortalecimento de ações efetivas de cuidado e tratamento em Saúde Mental no seu Estado e em todo o país.


Na foto, o Secretário Quirino Cordeiro Júnior com o Diretor do Hospital Psìquiátrico Professor Severino Lopes, doutor Claudio Lopes, e com representantes do Conselho Regional de Medicina, da Associação Norte-Rio-Grandense de Psiquiatria e parlamentares.

O Hospital Psiquiátrico Professor Severino Lopes foi reconhecido, no ano passado, pela Secretaria Nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas, do Ministério da Cidadania, (SENAPRED), como sendo um “Centro de Referência em Dependência Química” (CEREDEQ). Foi o primeiro Hospital a receber este reconhecimento por parte do Governo Federal.

O recebimento do “Prêmio Nise da Silveira” por um Hospital Psiquiátrico é um grande marco na reconstrução das Políticas Nacionais de Saúde Mental e Drogas no Brasil.

Esses importantes serviços, que são fundamentais para o tratamento de pacientes com transtornos mentais e dependência química, que apresentam agudização de seus quadros clínicos, foram equivocadamente perseguidos por antigas Políticas ideológicas, que tanta desassistência causaram em nosso país. Tal irresponsabilidade levou o Brasil a apresentar péssimos indicadores, tais como, aumento das taxas de suicídio; aumento de pessoas com transtornos mentais e dependência química em situação de rua; expansão das Cracolândias; aumento do encarceramento desses pacientes; aumento do afastamento do trabalho em licença-saúde.

“Antigas Políticas ideológicas causaram desassistência aos pacientes com transtornos mentais e dependência química, aumentando as taxas de suicídio, expansão de cracolândias e encarceramento desses pacientes.”

A “Nova Política Nacional de Saúde Mental”,publicada em 2017, e a “Nova Política Nacional sobre Drogas”, em 2019, resgataram os Hospitais Psiquiátricos como serviços constituintes das redes de tratamento às pessoas com transtornos mentais e dependência química. NOVAS POLÍTICAS PÚBLICAS que buscam ofertar cuidado de qualidade e de acordo com as reais necessidades dos pacientes e de seus familiares, abandonando de vez as questões ideológicas que direcionavam as antigas políticas nessas áreas.


.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *