Tratamento de dependentes na rede municipal de SP é ” pautado nos princípios da redução de danos”

Espalhe essa notícia:

Com a palavra , a Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo:

DIÁRIO ANTIDROGAS -Na cidade de SP, há quantos CAPS AD IV para atender pessoas com quadros graves e intenso sofrimento decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas? A CRIAÇÃO DE CAPS AD IV foi determinado em acordo de municípios e estados com a Comissão Tripartite do SUS em dezembro de 2017 para Fortalecimento da Rede de Atenção Psicossocial. Resolução que criou a Nova Política Nacional de Saúde Mental para evitar a banalização do uso de droga e o aumento das cracolândias no Brasil.

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE SP- O Centro de Atenção Psicossicial (CAPS) – AD IV Redenção acolhe homens e mulheres de todas as faixas etárias e conta com 20 leitos com vagas de observação e acolhimento integral. De acordo com a portaria nº 3.558 de 21 de dezembro de 2017, essa modalidade de Caps (CAPS AD IV) deve ser implantada junto às cenas de uso em municípios com mais de 500 mil habitantes. Em abril de 2020, foi inaugurado na região central o primeiro e único equipamento deste tipo na cidade, situado na Avenida Duque de Caxias, 75, Campos Elíseos.

DIÁRIO ANTIDROGAS- OS dependentes ficam internados por quanto tempo e, depois, são encaminhados para clínicas ou hospitais?

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE – Vale ressaltar que São Paulo conta com uma Rede de Atenção Psicossocial integrada por 97 Caps situados em diferentes territórios, sendo 32 voltados ao cuidado às pessoas com dificuldades decorrentes do consumo nocivo de álcool e outras drogas, e destes 17 são do tipo 3 com estrutura para acolhimento noturno.  A diretriz estabelecida preconiza o tempo máximo de 14 dias em acolhimento integral no CAPS. Se necessário, após este período, é feita a referência do paciente a um hospital da rede pública e, conforme a evolução do caso e grau de vulnerabilidade do sujeito, ele pode ser encaminhado ao Serviço Integrado de Acolhida Terapêutica (Siat 2) do Programa Redenção mantendo o acompanhamento no Caps.

DIÁRIO ANTIDROGAS – Abstinência é exigida no CAPS AD IV?

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE -Em relação à abstinência, as abordagens e o projeto terapêutico são pautados nos princípios da redução de danos, onde a abstinência consiste em parte do tratamento e não necessariamente o seu fim. Neste modelo as necessidades de saúde do sujeito são priorizadas em perspectiva integral, assim se torna possível prestar assistência às demais questões que usualmente se apresentam como comorbidades ou rompimento de vínculos, principalmente junto aos casos que indicam grande nível de vulnerabilidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *