“Socorro!Preciso internar meu filho dependente de crack.Estou desempregada e não consigo vaga para salvar meu único filho!”

Espalhe essa notícia:

Sem dormir , desde quarta-feira, VALDIRENE LOPES BARROS, chora neste domingo. O filho, de 21 anos, dependente de crack, PRECISA DE INTERNAÇÃO COM URGÊNCIA! A mãe está desempregada,sem dinheiro para pagar até conta de luz e água. Mora com o filho em CAJURU, município paulista a 260 quilômetros da capital. Para pagar traficantes, o filho já roubou dinheiro, objetos, roupas e até os fios da casa. E tem surtos em que quebra móveis e atira objetos nas paredes, ameaçando a mãe, que é obrigada a sair correndo de casa para não se tornar vítima. Na quarta-feira, quando a Prefeitura anunciava 11 graus , à noite, com sensação térmica de 5 graus, Valdirene foi obrigada a sair de casa e ficar nas ruas, chorando, implorando a Deus por um milagre, conseguir vaga para recuperar a saúde do filho.

Filho que era o seu companheiro e orgulho porque estudava e fazia planos para o futuro. Até experimentar maconha , aos 17 anos, numa festa com amigos. Depois, cocaína. E , aos 21 anos, o crack. Agora, só há lágrimas, desespero e dor devastadora. O ex-marido já avisou que não irá ajudar.

Naquela noite gelada e de pesadelos, a ÚNICA pessoa que atendeu Valdirene e a orientou, por telefone,POR ESTAR EM OUTRA CIDADE paulista, Santa Rosa do Viterbo, foi a Presidente da FEBRACI- Federação Brasileira das Clínicas Especializadas em Dependência Química. Renata Brunelli ouviu, orientou e continua buscando ajuda – internação para o filho de Valdirene-e, principalmente, fortalecendo nas longas conversas que têm por telefone, até de madrugada, sua esperança de que a solução será encontrada .

VALDIRENE CHORAVA E CONTAVA QUE os seus pedidos no CAPS de Cajuru para Internação Involuntária do filho haviam sido negados. E a ambulância necessária também não existe para dependentes de drogas em risco, como o seu filho. Chorou porque sentiu a humilhação de mãe de dependente de droga , que não tem na rede pública de Saúde o tratamento, o amparo que tanto implorou. Chorou por não ter dinheiro para pagar um Resgate e a internação numa clínica particular. Chorou ao lembrar das palavras do ex-marido que avisou que não iria ajudar .

O dia amanhecia na quinta-feira, quando Valdirene foi ao CAPS E CONTOU QUE O FILHO HAVIA FUGIDO E QUE PRECISAVA DE UMA AUTORIZAÇÃO PARA INTERNAÇÃO COMPULSÓRIA. O PSIQUIATRA IMEDIATAMENTE ASSINOU O DOCUMENTO . Mas o documento precisava ter autorização de um juiz.

Motivo de Valdirene ter procurado naquela manhã a OAB de Cajuru: “De manhã, quando fui na OAB pedir para um advogado me acompanhar até o juiz ,para pedir a internação compulsória, o advogado que me atendeu disse que a OAB DE CAJURU NÃO TEM MAIS AUTORIZAÇÃO PRA ESSES CASOS. E SE EU QUISESSE ,TERIA QUE CONTRATAR UM ADVOGADO.”

Ao sair da OAB,humilhada, Valdirene desmaiou na rua por fome, por desespero. Foi socorrida por quem passava naquele momento em frente à sede da OAB.

AO SER INFORMADA, PROCUREI a OAB em São Paulo enviando e-mail perguntando sobre atendimento a mães que imploram pela internação de filhos dependentes de crack. Até o momento, não recebi resposta.

E desde quinta-feira, Valdirene implora por INTERNAÇÃO DO FILHO em vídeos nas redes sociais:

Imploro, suplico para o MINISTÉRIO PÚBLICO, MISERICÓRDIA !!! PRECISO INTERNAR MEU FILHO!!! IMEDIATAMENTE!!!. MEU CORAÇÃO ESTÁ SANGRANDO POR ME SENTIR INCAPAZ DE SALVAR A PESSOA QUE EU MAIS AMO: MEU ÚNICO FILHO!!!SOCORRO!!!!! ”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *